julho 22, 2010

Como fotografar suas Viagens

Ville de Quebec, Quebec, Canada. CAnon 40D, Lente 24-105mm f/4.0. EM ISO 800, 28mm f/5.0.
Fotografado em raw, revelado em Lightroom 3.0, estilo de foto: Canon modo Landscape.


Embora eu seja um fotógrafo profissional, escrevo tendo em mente o amador avançado, o hobista dedicado que no seu tempo de descanso, investe as preciosas horas e reais na nobre arte da fotografia.

Para esse leitor, e para desespero de sua esposa, viagem é uma grande oportunidade de capturar cenas inesquecíveis.

Entretanto, graças a uma imprensa fotográfica que enfatiza equipamento ao invés de arte temos a impressão que o segredo para uma fotografia de viagem bem sucedida está nas câmeras, lentes, laptops e softwares que levamos para o campo. Mentira! Mentira deslavada para vender equipamento e ganhar dinheiro às suas custas.

Na verdade o sucesso em fotografar sua viagem jaz em princípios básicos:

  • levar a menor quantidade de equipamento possível. Uma câmera e uma lente apenas. No máximo uma câmera reserva, caso sua câmera resolva dar problema no primeiro dia de sua viagem à India.
  • Cabe a você decidir se há vantagem em levar consigo um flash externo. Quase toda vez que eu levei um 580EX II comigo, ele ficou dormindo no hotel.
  • a maior quantidade de baterias e carregadores possível. No mínimo uma bateria para cada 4 horas de fotografia constante que você pretenda realizar sem necessidade de recarregar.
  • a maior quantidade de memória possível. Hoje, com os preços cada vez mais baixos dos cartões de memória, não há motivo para sair de casa com nada com menos de 8 gigas. Em relação a cartões de memória a conta é muito fácil, veja quantas fotos um cartão de 1 giga pode armazenar na sua câmera e leve a quantidade necessária para armazenar a quantidade de fotos que deseja criar. Eu nem sairia de casa com capacidade inferior a 5000 fotos para 1 semana de fotografia.
A melhor lente para levar consigo?
  • Lente é igual mulher, pode haver mais gostosa, mas quem resolve seu problema é a sua. A melhor lente é a que você tem, leve-a com você.
  • se der para escolher: uma lente primária com distância efetiva entre 35 e 50mm e com abertura máxima f/1.8 ou maior, ou
  • uma zoom que te permita passar de grande-angular, para normal e telefoto. No meu caso, eu uso uma Canon 24-105mm, por que é a lente que eu tenho, mas poderia usar uma 15-85mm, uma 18-200mm ou mesmo uma 17-50mm
  • não gastaria meu tempo com tripés hoje em dia. Especialmente se você não vê problema em fotografar em ISOs relativamente altos como 800, 1000 ou 1600.
OK, mas isso é só o que levar ou não levar. Mas o mais importante é o que fazer com o seu tempo, uma vez que você estiver lá. Eu não consigo fotos como a que ilustra esse artigo, por conta do equipamento que eu uso, mas simplesmente por que eu estava lá, no local certo, na hora certa. Na boca do rio São Lourenço, na frente do Hotel Frontenac, no por-do-sol do verão norte-americano. Estar lá é 90% e é a parte mais difícil.

Graças a Deus, os melhores horários pata fotografar são horários onde o homem e mulher normais estão dormindo, voltando do trabalho ou já jantando com a família. Se não fosse por isso, nós, fotógrafos, já estaríamos desempregados. Se as horas para fotografar fossem convenientes, tudo mundo faria fotos como as minhas. Outro detalhe é que os locais mais interessantes para fotografar, são, por definição, locais inacessíveis, distantes e que são interessantes justamente porque poucas pessoas vão lá. Quantas fotos do centro de Brasilia você já viu? Um milhão! Mas fotos de geleiras distantes do norte do Canada são mais raras. Por tanto, a lógica do sucesso é simples:

  1. vá para um lugar distante e exótico e fotografe esse local nas horas em que há uma luz extraordinária e interessante.
Quando há luz extraordinária?

  1. primeiras horas do dia,
  2. últimas horas do dia,
  3. toda vez que um fenômeno climático altera a ordem das coisas: por exemplo antes ou depois de uma tempestade.
Obviamente, se você fizer isso todo dia de suas férias, vai voltar divorciado. A boa notícia é que todo lugar legal hoje em dia tem, em torno de si, uma boa estrutura de hotel onde sua mulher ou marido, que não dá a mínima para fotografia, podem ficar deitadinhos na piscina enquanto você passa um ou dois dias metido no meio do mato, na beira de uma ilha deserta ou agachado no meio das dunas de um deserto exótico no norte da África.

última dica? Faça o que fizer, nunca viaje contando que vai conseguir comprar algo que precisa quando chegar ao destino e nunca viaje sem um bom adaptador universal de tomadas.